Divulgada nesta quarta-feira, 26, a Pesquisa CNT de Rodovias 2016, que avalia a situação de toda a malha federal e estadual pavimentada do Brasil, aponta que as rodovias concedidas à iniciativa privada apresentaram avaliação superior às que são administradas pelo poder público: 78,7 % da malha concedida pesquisada teve avaliação ótima ou boa. No ranking das 109 ligações rodoviárias, as 19 melhores rodovias do Brasil são administradas por concessionárias. Vale ressaltar que das 30 melhores rodovias, 27 são concedidas a iniciativa privada.

“O programa brasileiro de concessões de rodovias já tem vinte anos de história e a pesquisa confirma o sucesso do modelo”, afirma César Borges, presidente da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias – ABCR. “Os resultados das rodovias concedidas são satisfatórios e as perspectivas animadoras. Nos últimos 20 anos, os trechos provados receberam investimentos na ordem de R$ 50 bilhões da iniciativa privada e outros R$ 20 bilhões estão programados para os próximos cinco anos”, completa.

Ao avaliar o estado geral das rodovias sob gestão pública, a pesquisa mostra uma situação inversa das concedidas: 67,1% apresentam algum tipo de deficiência e estão classificados como regular, ruim ou péssimo. “Como as rodovias são responsáveis pela maioria da movimentação de cargas que circulam pelo País, as más condições de conservação e sinalização das estradas representam um dos principais gargalos. Isso reflete a necessidade constante de investimentos do poder público, somados com a capacidade de atuação da iniciativa privada, expressa nas concessões”, ressalta César Borges.

ESTADO GERAL

Gestão Concedida

Gestão Pública

Positivo

Ótimo

39%

5%

Bom

39,7%

27,9%

Negativo

Regular

19,9%

38,2%

Ruim

1,3%

21,1%

Péssimo

0,1%

7,8%

A Pesquisa CNT avaliou um total de 103.259 quilômetros de rodovias, dos quais 20.036 quilômetros (19,4%) foram trechos concedidos. A Confederação Nacional dos Transportes considera que “a iniciativa privada é menos burocrática e mais eficiente, portanto, consegue definir a aplicação dos recursos de forma mais rápida”.

Malha rodoviária pavimentada no Brasil

A pesquisa aponta que a malha rodoviária pavimentada do Brasil é pequena, principalmente quando comparada com a de outros países de dimensão territorial semelhante. No Brasil, são aproximadamente 25 km de rodovias pavimentadas para cada 1.000 km2 de área, o que corresponde a apenas 12,3% da extensão rodoviária nacional. Nos Estados Unidos, são 438,1 km por 1.000 km2 de área. Na China, 359,9 km e na Rússia, 54,3 km. “O Brasil é um país que necessita, e muito, de investimento em infraestrutura de uma forma geral. Nós precisamos de mais e melhores estradas, de ferrovias, de portos, de aeroportos de transporte pelos mares e rios”, aponta César Borges. “Nós, simplesmente não exploramos todo o nosso potencial. O que precisamos é eliminar os gargalos da infraestrutura que ainda impedem o pleno desenvolvimento do país. Para isso, governo e iniciativa privada podem atuar de forma conjunta, cada um a seu modo, somando os melhores esforços para modernizar num curto espaço de tempo a infraestrutura brasileira”, finaliza.

Ranking das melhores rodovias do Brasil

Pos.

Rodovias

Ligação

Concessionária

SP-310/BR-364, SP-348

São Paulo SP - Limeira SP

CCR AutoBan

SP-225/BR-369

Bauru SP - Itirapina SP

Centrovias

BR-050, SP-
330/BR-050

São Paulo SP - Uberaba MG

CCR AutoBan, Intervias, Autovias e Vianorte

SP-070

São Paulo SP - Taubaté SP

Ecopistas

SP-326/BR-364

Barretos SP – Bueno de Andrade SP

AB Triângulo do Sol e Tebe

SP-330/BR-050, SP-333

Ribeirão Preto SP - Borborema SP

AB Triângulo do Sol

SP-255, SP-280/ BR-374

São Paulo SP - Itaí SP - Espírito Santo do Turvo SP

CCR SPVias, CCR ViaOeste e AB Colinas

SP-255, SP-318,
SP-334, SP-345

Araraquara SP - São
Carlos SP - Franca SP -
Itirapuã SP

AB Triângulo do Sol e Autovias

SP-300

Tietê SP – Jundiaí SP

AB Colinas

10º

SP-322, SP-322/
BR-265, SP-323,
SP-330/BR-050,
SP-351

Catanduva SP -
Taquaritinga SP -
Ribeirão Preto SP

Tebe e Vianorte

11º

PRINT