ÍNDICE ABCR

Referência Econômica

Em 2012, o índice ABCR foi incorporado ao cálculo do Produto Interno Bruto (PIB), pelo IBGE.

Em São Paulo, índice ABCR cai 14,3% em março

 

Em São Paulo, o fluxo pedagiado total de veículos teve recuo de 14,3% frente a fevereiro, em termos dessazonalizados. A desagregação entre leves e pesados apresentou variação de -18,8% e 0,4%, respectivamente.

 

Em relação ao mesmo período de 2020, o índice total cresceu 1,2%. O fluxo pedagiado de veículos leves apresentou queda de 2,4%, enquanto o fluxo de pesados subiu 10,1%.

 

Nos últimos doze meses o índice total acumula queda de 15,2%, fruto do decréscimo de 19,5% dos veículos leves e de 0,6% dos veículos pesados.

Período

Leves

Pesados

Total

Índice ABCR

 

Período

Leves

Pesados

Total

Leves

Pesados

Total

08/2019 / 08/2018
3,6%
0,0%
2,6%
03/2021 / 03/2020
-2,4%
10,1%
1,2%
03/2021 / 02/2021 C/AJUSTE SAZONAL
-18,8%
0,4%
-14,3%
Últimos 12 Meses
-19,5%
-0,6%
-15,2%
08/2019 / 07/2019 c/ ajuste sazonal
1,2%
-0,7%
0,2%
Últimos 12 meses
2,3%
3,3%
2,5%
Acumulado do Ano
-9,7%
5,8%
-6,1%
Acumulado no ano
3.6%
4,3%
3,7%
Março/21 sobre Março/20
-2,4%
10,1%
1,2%
Março/21 sobre Fevereiro/21 C/ AJUSTE SAZONAL
-18,8%
0,4%
-14,3%
Últimos doze meses
-19,5%
-0,6%
-15,2%
Acumulado no ano (Jan-Mar/21 sobre Jan-Mar/20)
-9,7%
5,8%
-6,1%

Gráficos

No Paraná, índice ABCR cai 7,4% em março

 

No Paraná, o fluxo total de veículos pedagiados caiu 7,4% frente a fevereiro, em termos dessazonalizados, ditado pelo recuo de 24% do índice de leves e avanço de 6,7% do índice de pesados no período.

 

Em comparação com o mesmo período de 2020, o índice total apresentou avanço de 2,5%. O fluxo pedagiado de veículos leves caiu 7,1%, enquanto o fluxo de pesados apresentou aumento de 13,2%.

 

Nos últimos doze meses o índice total acumula queda de 7,6%, fruto da alta de 3,5% dos veículos pesados e de queda de 14,3 % dos veículos leves.

Período

Leves

Pesados

Total

Indice ABCR
Índice ABCR

 

Período

Leves

Pesados

Total

Leves

Pesados

Total

08/2019 / 08/2018
3,6%
0,0%
2,6%
03/2021 / 03/2020
-7,1%
13,2%
2,5%
03/2021 / 02/2021 C/AJUSTE SAZONAL
-24,0%
6,7%
-7,4%
Últimos 12 Meses
-14,3%
3,5%
-7,6%
08/2019 / 07/2019 c/ ajuste sazonal
1,2%
-0,7%
0,2%
Últimos 12 meses
2,3%
3,3%
2,5%
Acumulado do Ano
-12,8%
5,4%
-6,3%
Acumulado no ano
3.6%
4,3%
3,7%
Março/21 sobre Março/20
-7,1%
13,2%
2,5%
Março/21 sobre Fevereiro/21 c/ ajuste sazonal
-24,0%
6,7%
-7,4%
Últimos doze meses
-14,3%
3,5%
-7,6%
Acumulado no ano (Jan-Mar/21 sobre Jan-Mar/20)
-12,8%
5,4%
-6,3%

Gráficos

Índice ABCR recua 12,6% em março

Comparado ao mesmo período de 2020, no início da pandemia, índice total avançou 3,6%

 

 

São Paulo, 09 de abril de 2021 – O índice ABCR de atividade referente a março de 2021 recuou 12,6% no comparativo com fevereiro, considerando os dados dessazonalizados. O fluxo de veículos leves caiu 17,4%, enquanto pesados avançou 0,1%. O índice que mede o fluxo pedagiado de veículos nas estradas é construído pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias - ABCR juntamente com a Tendências Consultoria Integrada.

 

Comparado ao mesmo período de 2020, o índice total avançou 3,6%. O fluxo pedagiado de veículos leves registrou avanço de 0,1%, enquanto o fluxo de pesados evoluiu 11,6%.

 

“Diretamente ligado ao recrudescimento do isolamento social em grande parte do país, houve queda do fluxo de leves em todas as regiões analisadas. Por outro lado, o fluxo de pesados ainda apresenta certa resiliência mantendo a movimentação de carga de bens essenciais, principalmente”, afirma Andressa Guerrero, analista da Tendências Consultoria. “Com o pior desempenho em abril de 2020, a trajetória do índice continua revelando os efeitos negativos da pandemia. Vale destacar que o fluxo de leves não voltou ao patamar do período pré-pandemia e continuará sensível aos desdobramentos envolvendo a COVID-19 no Brasil.”, conclui.

Período

Leves

Pesados

Total

Março/21 sobre Março/20
0,1%
11,6%
3,6%
Março/21 sobre Fevereiro/21 C/ AJUSTE SAZONAL
-17,4%
0,1%
-12,6%
Últimos doze meses
-17,5%
0,0%
-13,2%
Acumulado no ano (Jan-Mar/21 sobre Jan-Mar/20)
-8,4%
6,2%
-4,8%
Agosto/19 sobre Agosto/18
Veiculos Leves
3,6%
Veiculos Pesados
0,0%
Total
2,6%
Agosto/19 sobre Julho/19 c/ ajuste sazonal
Veiculos Pesados
Veiculos Leves
1,2%
Veiculos Pesados
-0,7%
Total
0,2%
Últimos doze meses
Veículos Leves
2,3%
Veiculos Pesados
3,3%
Total
2,5%
Acumulado no ano (Jan-Ago/19 sobre Jan-Ago/18
Veiculos Leves
3,6%
Veiculos Pesados
4,3%
Total
3,7%
Indice ABCR
Índice ABCR

Índice ABCR recua 12,6% em março

Período

Leves

Pesados

Total

Leves

Pesados

Total

08/2019 / 08/2018
3,6%
0,0%
2,6%
03/2021 / 03/2020
0,1%
11,6%
3,6%
03/2021 / 02/2021 C/AJUSTE SAZONAL
-17,4%
0,1%
-12,6%
Últimos 12 Meses
-17,5%
0,0%
-13,2%
08/2019 / 07/2019 c/ ajuste sazonal
1,2%
-0,7%
0,2%
Últimos 12 meses
2,3%
3,3%
2,5%
Acumulado do Ano
-8,4%
6,2%
-4,8%
Acumulado no ano
3.6%
4,3%
3,7%

Gráficos

No Rio de Janeiro, índice ABCR cai 3,9% em março

 

No Rio de Janeiro, o fluxo total caiu 3,9% comparado a fevereiro, em termos dessazonalizados. O resultado decorreu da queda de 1,8% no fluxo de veículos pesados e de 4,9% dos leves.

 

Na comparação com março de 2020, o índice total registrou avanço de 13,7%. O fluxo de leves subiu 14,6% e o fluxo de pesados 10,1%, mantida a métrica de comparação.

 

Nos últimos doze meses o índice total acumula queda de 12,4%, composta pela retração de 7,2% dos veículos pesados e queda de 13,5% dos veículos leves.

Período

Leves

Pesados

Total

Indice ABCR
Índice ABCR

 

Período

Leves

Pesados

Total

Leves

Pesados

Total

08/2019 / 08/2018
3,6%
0,0%
2,6%
03/2021 / 03/2020
14,6%
10,1%
13,7%
02/2021 / 01/2021 C/AJUSTE SAZONAL
-4,9%
-1,8%
-3,9%
Últimos 12 Meses
-13,5%
-7,2%
-12,4%
08/2019 / 07/2019 c/ ajuste sazonal
1,2%
-0,7%
0,2%
Últimos 12 meses
2,3%
3,3%
2,5%
Acumulado do Ano
-1,1%
0,4%
-0,8%
Acumulado no ano
3.6%
4,3%
3,7%
Março/21 sobre Março/20
14,6%
10,1%
13,7%
Março/21 sobre Fevereiro/21 c/ ajuste sazonal
-4,9%
-1,8%
-3,9%
Últimos doze meses
-13,5%
-7,2%
-12,4%
Acumulado no ano (Jan-Mar/21 sobre Jan-Mar/20)
-1,1%
0,4%
-0,8%

Gráficos